Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

INTERCAMBIANDO

Blog para fazer amigos pelo mundo, falar do cotidiano, experiências , sentimentos e relacionamentos das pessoas comuns... e, de vez em quando "botar a boca no trombone"!

INTERCAMBIANDO

Blog para fazer amigos pelo mundo, falar do cotidiano, experiências , sentimentos e relacionamentos das pessoas comuns... e, de vez em quando "botar a boca no trombone"!

  • PORQUE A ARTE CONTEMPORÂNEA É TÃO RUIM?

    Acredito que eu não seja a única a não entender nada quando se depara com obras de péssima qualidade estética e conceitos duvidosos ganhando lugar de destaque em galerias de arte de gabarito e museus famosos. Estudo arte há alguns anos, e no final deste, concluo minha Licenciatura em Educação Artística, mas confesso, tenho minhas dificuldades com aquilo que fere meu senso estético.

    Em nossa última visita ao MASP nos deparamos na galeria das esculturas com uma escada amarrada a um bode. Minhas filhas e eu ficamos indignadas ao ver esta coisa grotesca em meio a tantas obras de artistas famosos como Degas, Rodin, Renoir.

    Hoje, uma delas me enviou este vídeo que "lavou minha Alma".

     

    MAIS REFLEXÕES SOBRE "O TEMPO"! ESTA NA LINGUAGEM DO BARROCO

    Temos aqui o Poema de Pedro Cassiano de Aguilar, que, apesar de ser um personagem fictício, seu autor soube como tocar os corações humanos com algo que os perturba: A inexorabilidade do tempo.

    Outro poema de igual beleza e idêntico questionamento foi escrito por Frei Antonio das Chagas, eclesiástico franciscano português que viveu de 1631 a 1682. Diz-se que suas pregações cheias de efeitos teatrais, ênfase e demagogia, eram alvo de inúmeras críticas. Sua personalidade exerceu sobre os seus contemporâneos um fascínio perturbador, resultante, sem dúvida, do seu estatuto de homem mundano convertido à causa de Deus. Sua vida, assim como sua obra, retrata o espírito barroco da época, ambas cheias de contrastes e peripécias.

    Mas, vamos ao lindo poema "Conta e Tempo"

     

    Deus pede hoje estrita conta do meu tempo.
    E eu vou, do meu tempo dar-Lhe conta.
    Mas como dar, sem tempo, tanta conta.
    Eu, que gastei, sem conta, tanto tempo?

    Para ter minha conta feita a tempo
    O tempo me foi dado e não fiz conta.
    Não quis, tendo tempo fazer conta,
    Hoje quero fazer conta e não há tempo.

    Oh! vós, que tendes tempo sem ter conta,
    Não gasteis vosso tempo em passa-tempo.
    Cuidai, enquanto é tempo em vossa conta.


    Pois aqueles que sem conta gastam tempo,
    Quando o tempo chegar de prestar conta,
    Chorarão, como eu, o não ter tempo.

     

     

     

    EXTASE DE SANTA TEREZA- DE BERNINI

    Um dos artistas mais representativos do Barroco na linguagem da Escultura. 

     

     

    E-REFERENCE

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Frei_Ant%C3%B3nio_das_Chagas