Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

INTERCAMBIANDO

Blog para fazer amigos pelo mundo, falar do cotidiano, experiências , sentimentos e relacionamentos das pessoas comuns!

INTERCAMBIANDO

Blog para fazer amigos pelo mundo, falar do cotidiano, experiências , sentimentos e relacionamentos das pessoas comuns!

  • HISTÓRIA DA ARTE - A ERA ROMANA- PARTE 1

    Vamos tentar mostrar aqui as influências da Arte Romana na arquitetura, na pintura, na escultura, nas diversas manifestações artísticas...Embora se tenha farto material sobre o assunto na Internet, quando fizemos este trabalho em 2011 sentimos falta de algo que abordasse todos estes aspectos, e muitos não possuiam fotos, enfim, fizemos uma síntese, e gostaríamos de compartilhar com as pessoas que gostam de arte e história. 

     

    " Nos bons tempos, quando o poderio romano era inquestionável,o império romano cobria uma área territorial imensa, que ia da atual Inglaterra até a Rússia, passando por todo o norte da África, incluindo o Egito. Era um império formidável e modificou o mundo com novos conceitos sociais, administrativos e políticos. Recebendo a influência de muitos povos, os romanos foram os responsáveis por espalhar pelo mundo uma grande quantidade de idéias e princípios, como o próprio cristianismo. Também com a arte, a influência recebida de diversos povos - principalmente os gregos -, tratou de ser divulgada e implementada nos quatro cantos do planeta, pois o Império Romano significava a maior parte do mundo conhecido e civilizado nos séculos que antecederam e sucederam o nascimento de Cristo. É dessa época que estamos falando.

     

    Ela desenvolve-se durante os quase seis séculos que vão da terceira Guerra Púnica (146 A.C.) ao séc. IV D.C., quando perde a originalidade e se dissolve na cristã-primitiva, e na bizantina. Para sua formação contribuíram elementos gregos e etruscos – principalmente gregos, o que se explica pela conquista de toda a Itália, então sede de inúmeras colônias gregas, pelas legiões romanas (séc. III A.C.).

     

    Ela sofreu duas fortes influências: a da arte etrusca popular que é voltada para a expressão da realidade vivida, e a da greco-helenística, orientada para a expressão de um ideal de beleza.Um dos legados culturais mais importantes que os etruscos deixaram aos romanos foi o uso do arco e da abóbada nas construções.

     

     

    Esta é a cidade de Bagnoregio, de origem etrusca. Esta estrada, foi outrora, a principal ligação entre Roma e o Rio Tibre.

     

     Estatueta funerária de Chianciano, século V a.C., Museu Arqueológico de Florença, herança etrusca também.

     

    Grande parte do que se tem hoje sobre a era romana, provém de achados em Pompéia, a cidade destruída por vulcões em 79 A.C.

     

    Ruínas de Pompéia

     

    Algo bem curioso, quando das descobertas das ruinas de Pompéia, foram os corpos cobertos pelas cinzas do vulcão, que de início pensou-se serem estátuas...Só perceberam o engano, quando ao transportá-las, os pedaços de lavas foram se soltando e só então percebeu-se tratar realmente de corpos.

     

     

    Bem,  continua em Era Romana Parte II, III e IV

     

    A ARTE ROMANA - PARTE 2

    Exemplos de pintura da Roma Antiga são muito mais abundantes que os da Grécia. Muitos vêm da área localizada ao redor do Vesúvio, sobretudo de Pompéia e Herculano.

     

     A própria Roma, também é uma boa fonte, com os surpreendentes afrescos de um Jardim na Vila de Lívia ou os da casa de Augusto e na Domus Aurea, construída pelo Imperador Nero.

     

    Também incluímos mosaicos nesta história da pintura, dos quais há muitos exemplos espalhados  pela bacia mediterrânea, da Síria e da África do Norte até a Peninsula Ibérica.

     MOSAICOS DAS TERMAS DE CARACULLA

     

     

     Mosaico de Alexandre, encontrado no chão da casa do Fauno em Pompéia

     

     

    A pintura do período Romano é por tradição dividida em 4 estilos sucessivos. São conhecidos como “estilos Pompeianos”, pois foram documentados principalmente em Pompéia, até 79 d.c., ano em que a erupção do Vesúvio destruiu a cidade. O primeiro estilo ( fins do século II A.C. e início do século I A.C.) englobava imitações,  pintadas nas fachadas de muros de mármore coloridos...Muitas vezes embelezados com relevos de gesso pintado, ou estuques, exibiam estreita associação com a arquitetura...Este estilo talvez também tenha sido característico da pintura grega.

     

    O Segundo Estilo (século I A.C.) progrediu para a representação de estruturas arquitetônicas em tamanho natural, empregando perspectiva e “trompe l’oeil”, abrindo-se para outros espaços e paisagens exteriores. Nestas complexas interações arquitetônicas, inseriam-se estátuas e pinturas falsas,com cenas e objetos, animais e figuras humanas. A “Villa dei Misteri” (Vila dos Mistérios), em Pompéia e a casa de Augusto em Roma, são bons exemplos deste estilo.

     

     

    Trompe l’oeil da Ville dei Misteri, embora aparente uma solução arquitetônica, é na verdade, uma pintura.

     

    Outra parede da Ville dei Misteri

     

    A mesma pintura vista por outro ângulo

     

     

     Outra parede da Ville dei Misteri

     

    O terceiro estilo ( fins do século I A.C.  a meados do século I D.C.) foi distintamente decorativo.A arquitetura pintada se torna cada vez mais elegante e ornamental, em vez de mostrar plausíveis construções. Veem-se menos aberturas e paisagens e dá-se mais atenção aos detalhes. Exemplos deste estilo encontram-se nas casas de Marco Lucrécio Fronto e Cecilio Jocundo, em Pompéia.

     

     

     

    O quarto estilo ( cerca de 30 d.C. a 79 d.C.), também conhecido como Estilo Fantástico, ainda exibe vistas de arquitetura, mas faz extenso uso de elementos decorativos exóticos e originais. O arquiteto romano Vitruvio ( Século I a.C) em seu tratado “De Architectura”, condenara um estilo semelhante por sua escassa apreensão da realidade. Descoberto no século XVI, estas decorações foram chamadas de Grotescas e empregadas amplamente na Pintura da Renascença. Encontra-se extensa documentação desse 4º estilo em Pompéia, pois estava em voga durante o período final da trágica cidade vesuviana.

     

     

     

     

    Pintura do 4º Estilo

     

    Na terceira parte falaremos das esculturas deste período! Continua em Era Romana Parte III.

     

    Como criar sites facilmente

     

     

     

    A ARTE ROMANA - Parte 4

    INFLUÊNCIAS NA ARQUITETURA

     

    Confesso, que de tudo que vi, o que mais me impressionou nesta Era, foi a arquitetura. Os anfiteatros, as casas de banho, os aquedutos, as moradias...Tudo impressiona, tanto pelo tamanho, como pela suntuosidade, como pelas linhas...Diria...Tudo é monumental!

     

     

    As características gerais da arquitetura romana são:

    * busca do útil imediato, senso de realismo;

    * grandeza material, realçando a idéia de força;

    * energia e sentimento;

    * predomínio do caráter sobre a beleza;

    * originais: urbanismo, vias de comunicação, anfiteatro, termas.

     

    As construções eram de cinco espécies, de acordo com as funções:

    1) Religião: Templos

    Pouco se conhece deles. Os mais conhecidos são o templo de Júpiter Stater, o de Saturno, o da Concórdia e o de César. O Panteão, construído em Roma durante o reinado do Imperador Adriano foi planejado para reunir a grande variedade de deuses existentes em todo o Império, esse templo romano, com sua planta circular fechada por uma cúpula, cria um local isolado do exterior onde o povo se reunia para o culto.

     

     

    O Panteão

     

    2) Comércio e civismo: Basílica

    A princípio destinada a operações comerciais e a atos judiciários, a basílica servia para reuniões da bolsa, para tribunal e leitura de editos. Mais tarde, já com o Cristianismo, passou a designar uma igreja com certos privilégios. A basílica apresenta uma característica inconfundível: a planta retangular, (de quatro a cinco mil metros) dividida em várias colunatas. Para citar uma, a basílica Julia, iniciada no governo de Júlio César, foi concluída no Império de Otávio Augusto.

     

    Basílica de Santa Júlia

     

     

    3) Higiene: Termas

    Constituídas de ginásio, piscina, pórticos e jardins, as termas eram o centro social de Roma. As mais famosas são as termas de Caraculla  que, além de casas de banho, eram centro de reuniões sociais e esportes.

    Thermas de Caraculla

     

    Outra foto das Thermas de Caraculla

     

    4) Divertimentos:

     

    a) Circo: extremamente afeito aos divertimentos, foi de Roma que se originou o circo. Dos jogos praticados temos:

    jogos circenses - corridas de carros;

    ginásios - incluídos neles o pugilato;

    jogos de Tróia - aquele em que havia torneios a cavalo;

    jogos de escravos - executados por cavaleiros conduzidos por escravos;

    Sob a influência grega, os verdadeiros jogos circenses romanos só surgiram pelo ano 264 a.C. Dos circos romanos, o mais célebre é o "Circus Maximus".

     

    Circus Maximus

     

     

    b) Teatro: imitado do teatro grego. O principal teatro é o de Marcelus. Tinha cenários versáteis, giratórios e retiráveis.

     

     

    Teatro de Marcelus, parcialmente conservado até hoje

     

    c) Anfiteatro: o povo romano apreciava muito as lutas dos gladiadores. Essas lutas compunham um espetáculo que podia ser apreciado de qualquer ângulo. Pois a palavra anfiteatro significa teatro de um e de outro lado. Assim era o Coliseu, certamente o mais belo dos anfiteatros romanos. Externamente o edifício era ornamentado por esculturas, que ficavam dentro dos arcos, e por três andares com as ordens de colunas gregas (de baixo para cima: ordem dórica, ordem jônica e ordem coríntia). Essas colunas, na verdade eram meias colunas, pois ficavam presas à estrutura das arcadas. Portanto, não tinham a função de sustentar a construção, mas apenas de ornamentá-la. Esse anfiteatro de enormes proporções chegava a acomodar 40.000 pessoas sentadas e mais de 5.000 em pé.

     

    O Coliseu

     

    5) - AQUEDUTOS

     

    Erguido no século I A.C., esse aqueduto de 50 Km de extensão tinha por fim levar água a Nimes, cidade que hoje pertence à França. A parte mais extraordinária da construção é a ponte sobre o Rio Gardon, com 48,77 metros de altura, três ordens de arcos e apoiada em pilares cravados nas rochas. A obra continua em pé até nossos dias, o que prova a qualidade da técnica da engenharia romana. Os Romanos, porém, não se preocuparam apenas em fazer aqueduto sólido, que funcionasse por muitos  séculos: procuraram,  também empregar formas que revelassem beleza. É fácil reconhecer essa beleza nos arcos: áreas vazadas dão leveza à ponte e contrastam com a solidez e a imponência de uma obra de engenharia  que o império Romano deveria ter.

     

     Aqueduto La Guard

     

     

     

    6)  Moradias:

    As casas eram construídas ao redor de um pátio chamado Atrium. O Atrium era construído com todo o esplendor e magnificência que a riqueza do dono permitia. As características mais evidentes do Atrium eram o Compluvium e o Impluvium

     

     

    O Impluvium é uma rasa bacia de mármore, ricamente esculpida e decorada com figuras em relevo. Era destinado à coleta da chuva que caia pelo Compluvium. As colunas de suporte eram feitas de mármore ou cara madeira. Entre esses pilares, ao longo das paredes, estátuas e outras obras eram colocadas. Junto ao impluvium, quase sempre havia um chafariz de mármore.

    O Compluvium era uma pequena abertura no telhado, feito para permitir a entrada de luz natural em todos os cômodos da casa.

     

     

     

    A decoração do Atrium nas casas da roma antiga impressionava pela riqueza de mosaicos e afrescos. (Reprodução digital da Casa di Paquius Proculus em Pompéia, Itália)

     

     

      

    Ruínas do Atrium na Casa do Fauno em Pompéia, Itália

     

     

      

    Mosaico de Alexandre, encontrado no chão da casa do Fauno em Pompéia

     

    Esta foi uma série de 4 posts sobre a História da Arte na Era Romana! Na PRIMEIRA, falamos dos aspectos gerais e das Ruinas de Pompéia, na Parte II, falamos sobre a Pintura , e na Parte III, falamos sobre as esculturas, E  aqui na Parte IV, falamos sobre a arquitetura.

    Nossos agradecimentos ao Roma Gallery ( www.roma.gallery.com ) pelas fotos cedidas. Espero que tenham gostado!

     

    Como criar sites facilmente

    BRASILEIRAS LANÇAM LIVRO DE HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA

    A Editora Contexto acaba de lançar História da América Latina, de Maria Ligia Prado e Gabriela Pellegrino – ambas professoras da Universidade de São Paulo.

     

    Nas palavras das autoras: "Os brasileiros, de modo geral, conhecem muito pouco sobre a rica e complexa História da América Latina. E isso acontece ainda que o país faça parte dessa região e que nossa história corra paralela à dos nossos vizinhos – desde a colonização ibérica, passando pela concomitância das independências políticas e da formação dos Estados nacionais, chegando aos temas do século XX (como a simultaneidade das ditaduras civis-militares). 
    Daí a importância desta obra, que começa seu percurso com a crise dos domínios coloniais na América, passa pela construção de identidades e investiga educação, cidadania, cultura e política".


    Escrito com linguagem fluente por duas professoras da Universidade de São Paulo com relevantes estudos sobre a América Latina, o livro oferece aos leitores uma proximidade inédita com nossos vizinhos. Isso nos ajuda a pensar também sobre as questões do presente e entender as viscerais ligações históricas entre o Brasil e os demais países latino-americanos.

     

     

     

    Assista ao vídeo das autoras falando sobre o livro

     

    ARTES E UTENSÍLIOS - CRIANDO E RECRIANDO!

    Quem estuda ou já estudou a história da arte conhece perfeitamente sua importância histórica, cultural, sociológica, e antropológica.

    Lendo um livro que gosto muito da Fayga Ostrower, Criatividade e Processos de Criação, em um trecho ela diz:

     

    “ Quando vemos uma jarra de argila produzida há mais de 5000 anos por algum artesão anônimo, algum homem cujas contingências de vida desconhecemos e cujas valorizações dificilmente podemos imaginar, percebemos o quanto esse homem, com um propósito bem definido de atender certa finalidade prática, talvez a de guardar água ou óleo, em moldando a terra, moldou a si próprio. Seguindo a matéria e sondando-a quanto à “essência de ser”, o homem impregnou-a com a presença de sua vida, com a carga de suas emoções e de seus conhecimentos. Dando forma à argila, ele deu forma a  fluidez fugidia de seu próprio existir, captou-o e configurou-o. Estruturando a matéria, também dentro de si ele se estruturou. Criando ele se recriou”. ( pag. 51).

     

    Vendo qualquer fragmento arqueológico, fica-se a pensar nestas palavras de Fayga, do quanto o homem se configurou e se estruturou ao criar estes objetos, e o quanto podemos conhecer do passado de nossa espécie através deles.

     

     

     

     Imagem do site

     

     http://www.camertola.pt/info/mértola-vila-museu

     

    IMPÉRIO ROMANO: CONSTRUÇÕES QUE SOBREVIVEM : JERASH

    Quando fizemos o trabalho sobre a influência da Era Romana nas diversas manifestações artísticas, o que mais nos impressionou foi a expansão do Império Romano, que tomou a Europa toda,  a bacia mediterrânea da África e da Ásia, como nos mostra o mapa da Wikipédia.

     

     

    Desde então, aguçou nossa curiosidade em conhecer as contruções feitas durante este período que sobrevivem até hoje!

     

    Há alguns dias recebemos, por intermédio de um amigo, que hoje vive na Áustria, algumas fotos de Jerash, na Jordânia, antiga Gerasa, conquistada pelos romanos em 63 A.C.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Coincidentemente, dias depois recebemos de nossa querida amiga Belisa, de Portugal, a indicação de um blog de um espanhol, infografista, Eduardo Bárragan que reproduz infográficamente  construções do Império Romano. Como estava disponível no Youtube, tomei a liberdade de reproduzí-lo aqui, mas gostaria de deixar o endereço do blog para que todos possam apreciar o trabalho meticuloso e interessante de Eduardo: http://italicaromana.blogspot.com

     

     

    Aos que se interessarem ver os outros posts desta série clique : Era Romana: Parte I  PARTE II   PARTE III  e  PARTE IV

    PUXA-SACO - ARTESANATO OBSOLETO?

    Escrevemos há dias atrás sobre a crise das sacolinhas plásticas no Brasil, e questionamos até onde, realmente, estavam pensando no planeta!...Claro, fosse em benefício dele, teríamos adesão total!

     

    Bem, hoje, revendo algumas fotos de 2008, deparei-me com alguns artesanatos feitos neste ano, e, lá estavam, alguns de meus Puxas-Sacos ( objeto para organizar sacolinhas e saquinhos plásticos) feitos de madeira, com decoupage e pintura com tinta acrílica.

     

    Pensei, em como, então pouco tempo, uma coisa passa de altamente útil, para obsoleta!...Bem, não está de todo, pois ainda temos os saquinhos plásticos, e esta peça, ajuda a organizar, para não ficar espalhado pela casa, ou mal acondicionada.

     

    Bem em caso de desuso total, estas fotos, ao menos, servirão para ajudar a contar a história de nosso cotidiano, neste nosso tempo rsrsrsrsrs!...Amigas, temos que pensar nisso também: os nossos blogs serão armazenados, talvez para sempre, e ajudarão a contar muitas histórias.....

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    CRER E VER!

    Assim como a maioria das pessoas, também tenho minhas dúvidas religiosas...A história está cheia de artimanhas criadas pela Igreja para arrebanhar fiéis!

     

    De Jesus, como homem, e um Ser Superior, nunca tive dúvidas...

     

    Além do que, ainda que não se tenha provas materiais de sua existência, a extensa obra bíblica com seus ensinamentos, mesmo que tivessem sido criados pela Igreja, o que não seria impossível, por si só, pelo seu conteúdo tão precioso e bom,   já seria o suficiente para Crer, Louvar, Seguir. 

     

    Mas, ter algo material a comprovar a Fé, é sempre um sonho Humano.

     

    Aos que precisam, como São Tomé, Ver para Crer, segue fotos do corpo de Santa Bernadette, a menina que viu Nossa Senhora, 18 vezes. Aos 152 anos de idade, continua intacto, e pode ser visto pessoalmente em Nevers, França, no Convento de Saint Gildard... Apesar das aparições terem ocorrido em Lourdes, e ser, esta, fonte das peregrinações, o corpo de Bernadette, beatificada em 1925, e canonizada em 1933, continua em Nevers.

     

    Aos que quiserem saber mais, clique aqui

     

     

     

     

     

     

    FUI AO MASP, NÃO VI TARSILA!

    É verdade!...Nosso curso de Comunicação Visual, esteve hoje, no Masp, ( Museu de Arte de São Paulo), e não vi Tarsila do Amaral, um de nossos ícones do Movimento Modernista no Brasil!

     

    Procurei no acervo, mas, parece que não existe nada dela lá!...Estranhei!...Voltei, continuei procurando, mas, nada encontrei!...

     

    ...Bem, não vimos Tarsila, mas vimos Toulouse Lautrec, Manet, Monet, Degas, Van Gogh, Picasso, Di Cavalcanti, Portinari, entre outros grandes nomes de todas as épocas!...Enfim, um acervo Bilionário!

     

    Claro, a emoção é grande, estar frente a frente com estas obras, que além de consagradas, remontam a tempos tão distantes ( algumas obras de artistas do ano 1400).

     

    Interessante também, entrar em contato com algumas obras consagradas, mas que não conhecíamos os artistas, e posto algumas delas aqui, para compartilhar com vocês:

     

     

    Giovanni Boldini (Itália 1842 - França 1931)  - Amei seus traços, e a vida que este quadro tem pessoalmente

     

     

     

     

     

     

    ANDRÉ LHOTE -  Bordeaux- França, 1885 -  Paris - 1962

    Interior com figuras femininas

     

     

     

    Edouard Vuillard - Cuiseaux - França 1868 a 1940

    A Princesa Bibesco

     

     

    Maurice  Utrillo - Paris 1883 a 1955

    Obra Sacre Coeur de Montemartre e Chateau des Bronilards

     

    Bem, é isso aí!...preferi colocar as fotos dos que eu, pessoalmente menos conhecia ( perdão aos entendidos, pela minha ignorância), mas, que   gostei igualmente aos mais famosos!

     

    Aos que quiserem conhecer o acervo do Masp, basta acessar : http://www.masp.art.br

     

     

    Como Ganhar Dinheiro na Internet

     

    VITÓRIA À SIMPLICIDADE E AO LUXO DO REI!

    Com um samba animadíssimo cantado com garra por todos os componentes, num desfile que foi luxo só, venceu A Beija Flor de Nilópolis, no carnaval do Rio, apresentando no enredo a Vida de Roberto Carlos!

     

    Belisa, Adélia, Maria, Tereza, especialmente prá vocês!...